terça-feira, 13 de setembro de 2011

Perdido?


Por mais que me espalhe por aí, existem algumas raras vezes em que um olhar incomoda o meu pequeno mundo. 

Incomoda, não no mau sentido mas no sentimento que desperta em mim, que me deixa desmaiar em apreciação, como se estivesse a degustar algo que brilha para depois aquecer cá dentro.

Quero dizer que às vezes existem pontos estelares que vale a pena memorizar, ser atraído por eles é por vezes fácil, no meu caso.

A magia vem depois como uma droga chamada diálogo, o entendimento terá o seu lugar à luz da Lua, do Sol, onde se ajustar terá o seu nome.

Mas sim, às vezes há um olhar, uma harmonia que segue a corrente lá do alto e fortalece um som articulado entre duas pessoas. Uma pequena frase, duas ou mais palavras e zás...toca-nos.

Fico confuso com essas histórias do destino, estereótipos que soam bem ao ouvido. Tenho as minhas dúvidas quanto a esses deja vu´s, Cliché ao ritmo da cor rosa que por esse papel invade as casas, as Tv´s, a Internet.

Mas e se uma vez na vida, uma remota hipótese de sucesso, esse tal foco de tranquilidade  invadir o nosso estado de alerta, o nosso íntimo e a intocável raiz da vida? 

Estaremos habilitados para a acompanhar? Teremos sucesso? Valerá a pena arriscar mais uma vez, mesmo que voltemos a cair no chão?

E porque não? O que nos impede?
Não somos nós uma experiência de algo que se formou, sem perguntar se queríamos cá estar...foi preciso um consentimento para este maravilhoso planeta se formar?

Eu estou vivo, estou aqui, não tenho nada a perder. Não se trata de orgulho, de honra, mas sim de consciência íntima, da chapa que se derrete dentro de nós à espera de ser moldada.

Para quê rodeios de mil e uma notas musicais só para dizer uma frase, ou pergunta directas?
Para quê esconder-se sobre uma capa de palavras bonitas?

Porque me sinto bem, porque tu gostas, porque essas notas musicais fazem parte de uma canção, a nossa composição. Não é isso que faz girar o nosso Mundo?

Sejamos directos, libertemos, digamos sim, cruzar o chocolate e o leite fresco, sempre se podem aquecer mais tarde.
Faz todo o sentido e este, será o espírito e a força que nos faz empenhar e aceitar de novo alguém que nos queira acolher, amar até...

2 comentários:

  1. Uma porta que por vezes é aberta e danificada. O restauro é sempre mais difícil.
    Beijos

    ResponderEliminar